Site Overlay

NASA vai enviar equipamento científico para lado mais longínquo da Lua

NASA vai enviar equipamento científico para lado mais longínquo da Lua

O lado mais longínquo da Lua esteve intocado por máquinas até 2019, quando lá aterrou uma missão chinesa.

A agência espacial norte-americana (NASA) escolheu três novos projetos de investigação científica à Lua e dois deles irão aterrar no hemisfério lunar que está sempre mais longe do planeta Terra. Será a primeira vez que se estuda o lado mais longínquo do satélite.

A escolha ocorreu no âmbito da iniciativa de serviços comerciais lunares de carga (Commercial Lunar Payload Services, CLPS), que faz parte do programa Artemis, com o intuito de reunir mais dados sobre aquela zona como potencial futuro destino dos astronautas do programa.

As missões de recolha de dados pretendem reunir o máximo possível de conhecimento antes de serem enviadas missões tripuladas.

“Com cada seleção de programa, estamos a melhorar as nossas capacidades para conseguir mais e melhor ciência e testar tecnologia que irá pavimentar o caminho para levar astronautas de volta à Lua através do programa Artemis”, pode ler-se no blogue da agência espacial.

O lado da Lua mais afastado da Terra esteve intocado por máquinas até à missão chinesa Chang’e-4, que aterrou na área em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.